quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Com nervos de aço e sem coração



José Antônio Silva


"Há pessoas com nervos de aço/ Sem sangue nas veias/ e sem coração" (Lupicinio Rodrigues)


1 - Há pessoas que só enxergam corrupção quando ela está ligada à esquerda – são cegos, simplesmente, para toda a roubalheira que vem do outro lado, antes, durante e depois.

2 - Há pessoas que são radicalmente contra as cotas para negros e pobres na universidade, pois consideram que todos devem ter “chances iguais” - mesmo que uns nasçam e sobrevivam na pobreza, e outros estudem nos melhores colégios que o dinheiro pode pagar e se aperfeiçoem em cursos no exterior.

3 - Há pessoas que insistem em que o Brasil nunca esteve tão ruim – mesmo que órgãos isentos como a ONU e a OIT, institutos como o IBGE e a FGV e os governos de nações desenvolvidas apontem a estabilidade econômica, o pleno emprego no país e a ascensão de quase 40 milhões de pessoas da miséria para a classe média.

4 - Há pessoas que ultrapassam o sinal vermelho, destratam e ameaçam fiscais de trânsito e policiais (quando não conseguem comprá-los) – e ainda alardeiam ter razão, inclusive quando estacionam em vagas para deficientes, podendo ofender, agredir e até matar quem reclamar o seu legítimo direito.

5 - Há pessoas que mal conseguem esconder sua raiva e desconforto ao enxergar pobres em aeroportos brasileiros, aumentando as filas – pois consideram que os moradores das senzalas, digo, das favelas, não conhecem mais o seu lugar.

6 - Há pessoas que, utilizando a mídia como aliada principal, classificam todos os governos da América Latina, democraticamente eleitos e com ênfase social, de “populistas e demagógicos” – e articulam manobras às bordas da inconstitucionalidade para derrubá-los ou enfraquecê-los.

7 - Há pessoas que só vivem para acumular dinheiro e mais dinheiro – independentemente do grau de riqueza ou conforto que tenham atingido, e do tempo presumido de vida que lhes reste para “aproveitar” ainda mais a fortuna. E se mostram incapazes de pensar a sério em contribuir para uma sociedade menos desigual. Aliás, muito pelo contrário.

8 - Há pessoas que defendem radicalmente o meio ambiente, na teoria – em sua vida diária, não separam o lixo, jogam embalagens pela janela do carro ou apartamento, e quando vão ao mar ou a serra deixam um rastro de sujeira, poluição e desprezo pelo presente e pelo futuro, focados na própria comodidade.

9 - Há pessoas que se dizem democráticas e cristãs – no cotidiano, porém, são absolutamente autoritárias, intolerantes, repudiam a solidariedade e sequer desconfiam o que seja compaixão.

10 - Há pessoas que são rebeldes sem causa quando jovens – e na meia idade, passada a revolta juvenil, colocam-se furiosamente à direita, mais à direita que os conservadores de uma vida inteira, pois sempre foram alienadas.

11 - Há pessoas que se utilizam da internet para expressar as opiniões mais racistas, nazi-fascistas, machistas e imbecis do mundo – quase sempre protegidas, valentemente, pelo anonimato e por pseudônimos.

12 - Há pessoas que têm como esporte predileto apontar a corrupção de políticos – mas grande parte delas pratica tranquilamente a hipocrisia e a desonestidade na condução dos próprios negócios e da própria vida.

13 - Há pessoas que dizem que esquerda e direita são classificações que, historicamente, não fazem mais sentido – e, por incrível coincidência, todas as que afirmam isso defendem sempre claras posições direitistas.



3 comentários:

cristina macedo disse...


Bom, muito bom, José Antônio! Concordo com a maioria de tuas opiniões. Ótimo uma cabeça pensante como a tua! Abração, Cristina Macedo.

Renato de Mattos Motta disse...

Bravo!
Divulguei!
Abraço forte!

José Antônio Silva disse...

Obrigado, Cris! Valeu, Renato! No fundo, é um desabafo, botar pra fora o que muita gente vê, mas fica semi-invisível no dia a dia de todos.
abraços!