sábado, 5 de fevereiro de 2011

Poetando

O galo do canto

José Antônio Silva


O galo do canto

não nega o canto do galo

apenas não canta



O galo do canto

ainda assim

encanta a galinha

e a raposa

que o avista

pois não há no terreiro

quem lhe abaixe a crista



O galo do canto

é do contra

e como não canta

eu lhes conto:

tarda o sol a nascer

no silêncio

da manhã

em que ele não se levanta.

Um comentário:

Anônimo disse...

Legal. O Antiherói. Muito bom o teu poema. Abraços, Alina Souza.