quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Crônica Minha (07)

A farra das algemas

José Antônio Silva

Depois que o STF decidiu acabar com a farra das algemas pela Polícia Federal, que não respeitava mais ninguém, ora essa!, nossa reportagem foi a campo para saber o que pensam do assunto algumas personalidades do jet set nacional. Interrompemos uma sessão de fotos na Ilha de Caras para ouvir a colunável paulistana “Bibi” Malauf Marchiccosa de Toledo, uma das sócias da boutique chique Maislu (Mais Lucro S.A.). Ela fez bonito em passeata com o mote “Uffa!”, na temporada passada, também em protesto contra a falta de educação da PF.

- Contrabando, sonegação de impostos, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha... A senhora é inocente?

- Pooor favooor.... Quem é inocente hoje em dia, meu Deus?! Com cada coisa que a TV mostra, nem criançinha é inocente mais. Ah, cansei! Uffa!

- A senhora, que já foi algemada, o que acha desta ação do Supremo, para evitar que pulsos bem tratados como o seu sejam obrigados a ostentar algemas, em qualquer prisãozinha de rotina?

- Aaameizing! Já era hora de alguém colocar as coisas em ordem nesta bagunça!Eu não sou chinelona, meu bem! Que que estão pensando??!!!

- Mas em alguns casos a algema não é um instrumento útil?

- Uffa! Você, hein... Se ainda nos oferecessem modelitos mais delicados, com opção de cores e padrões.... Sabe que tive uma idéia?! Vou lançar variedades em ouro, com incrustações de diamantes. Podemos ter também modelos mais pop, em rosa, com imagens da Hello Kity... E alguma coisa mais sóbria, com relógio, pros nossos maridos, amantes e parentes... Genial! Meus fornecedores chineses vão adorar! Obrigado, querido!

- De nada. Já vi que sua próxima prisão será bem mais elegante.

Ao desembarcarmos da Ilha, demos de "caras" com o flanelinha Jolymaykom Júnior Santos, 19 anos, ex-juvenil da Portuguesa:

- Bem cuidado, tio! Tá na mão, é dé real pro senhor!

- Que bom, mas espera o dono que a gente tá de ônibus mesmo.

Vimos a decepção estampada na cara do rapaz:

- É que os ricaços só saem da Ilha depois do fim de semana, e ainda tenho que levar uma mistura pra os bacuris comerem lá em casa.

- Quantos filhos você tem?

- Assim de cabeça?? È sete ou oito. Tem que perguntar pras mães. Mas lá em casa tenho só dois só: os gêmeos Joly Júnior e Maiykom Júnior.

- Tudo é Júnior na tua casa?

- É pro senhor ver, até já me perguntaram se eu sou parente do Fábio. Mas nada a ver: é só coincidência...

Alcançamos algumas moedas da produção para o pai de família e já íamos embarcando no coletivo quando lembramos de perguntar ao rapaz o que ele achava da regulamentação das algemas, cujo uso vai ficar a critério do policial, na hora da prisão. E caso “exagere”, poderá ser punido.

- Jolymaykom, você não acha que pode ser perigoso deixar o preso sem algemas? E se ele atacar o policial ou tentar se matar, por exemplo? E se acontecer alguma tragédia, quem é o responsável?

- Olha, seu repórti. Só sei dizer que eu não sô o responsável nem sei nada dessa bronca aí...

- Mas você acha que o uso de algemas na hora da prisão de acusados de crimes atenta contra a dignidade da pessoa humana?

- Bom.... exclusive eu até já tô acostumado com algema. Ruim é a parte antes da algema, quando eles pedem os documentos, revistam e cagam a gente a pau. Mas aí é normal, né?

2 comentários:

JC disse...

Toninho: tá muito boa e, falando em jolimaicon, olha só o nome que eu ouvi esses dias: Limeijor de souza (te lembra do homem de 6 milhões de dólares?)

henry.soares disse...

EXCELENTEEEEEEEE!!!!!

E pau no povo! Esse sim é perigoso e atenta contra o ordem do Estado!