segunda-feira, 21 de julho de 2014


Palestina - o mapa histórico do extermínio

José Antônio Silva

As tentativas – ineficientes, patéticas, artesanais - de ataques palestinos a Israel, um dos exércitos mais poderosos do mundo, não são “terrorismo”: são uma forma desesperada de resistência deste povo para não ser literalmente exterminado. 

Quem duvidar, basta olhar o mapa do avanço sionista sobre as terras (ocupadas por estes árabes há séculos) da região, dos anos 40 para cá. A imagem fala por si. 

O mundo assobia e olha para o lado, para não ver – e não ter que fazer nada – o massacre sobre a população palestina, ordenado pelos governos direitistas que dominam a política de Israel.