segunda-feira, 17 de junho de 2013

Poetando


Adriane, Rosa, Ernesto, Ismália, Sidnei e Rosa

 José Antônio Silva

Adriane
achou uma bala perdida
mas o sabor não lhe agradou
e na calçada a descartou.

Rosa
porém foi colhida
bem no meio do Jardim
- o coletivo Zona Norte
a arrastou metros sem fim
que colidiram com a morte.

Ernesto
pai de Adriane e marido de Rosa
casou-se com a amante sua:

Ismália
que conversava com pássaros
e de quando em vez
voava nua.

Adriane
cursou Secretariado
e fez Mandarim em Pequim.
Na volta conheceu Sidnei
e hoje perfuma
a pequena Rosa
num loft do bairro Jardim.

Ernesto
aposentou-se das vendas
e não conversa com pássaros
mas sempre murmura sozinho
- saudoso de Ismália
que num domingo alçou vôo
e nunca voltou ao ninho.

Sidnei
levou um tiro
ao entrar no condomínio
mas foi fogo de raspão
e disso ele já não fala
- hoje tudo é só história
perdida que nem a bala.






Nenhum comentário: