domingo, 18 de abril de 2010

Poetando


Em agonia


José Antônio Silva


Idéias bóiam

ou flutuam

- como baloons

de histórias

em quadrinhos -

pelas ruas.


Algumas ficam presas

sob viadutos

pontes

fios elétricos

ou galhos de árvores.


Até explodirem

ou perderem todo o gás

e serem pisoteadas

em invisível agonia

sob nossa pressa

sem razão.


...............................................


Exploradores cegos


José Antônio Silva


Artistas são exploradores cegos

tateando o nada

em busca de massa sutil


...................................................



Irmã Tristeza


José Antônio Silva


És sábia

- e, reconheço, podes ser doce -

irmã Tristeza


Mas vai!

Não conseguimos

continuar respirando

por muito tempo

em tua companhia.


3 comentários:

Lengo D'Noronha disse...

Bravo!!!

Três poemas exalando poesia.

Abraço

José Antônio Silva disse...

Obrigado, Lengo!
Volte sempre.

Um abraço!

Zé Antônio

Augusto Bier disse...

Coisa boa ler poesia feita por mago de caldeirão curado. Que urdidura maior venha.