terça-feira, 28 de julho de 2009

Poetando

Subimos armados

José Antônio Silva


Subimos armados de punhais.
Íamos buscar o que era nosso.
E que nos fora roubado.

Subimos armados de ira e revolta.
Íamos acabar com o que era deles.
Que eles eram do outro lado.

Subimos armados de medo.
Íamos talvez encontrar a morte.
Quem conhecia os fados?

Subimos armados até os dentes.
Íamos agarrar nossa redenção.
Eram de ferro as nossas mentes.

Inverno/2009

Um comentário:

Tomás Rech disse...

Muito bom pai véio!