domingo, 26 de abril de 2009

Crônica Minha

Do amor cantado – 2


José Antônio Silva


Em esforço classificatório anterior, sobre os estilos amorosos da MPB, LavraLivre deteve-se sobre oito modalidades que sempre batem ponto em nossas canções: Adolescente, Indeciso, Intenso, Caliente, Machista, Magoado, Terminal e – no fim – Infinito.
Mas, claro, ainda não era o ponto derradeiro, que na verdade não existe. Atendendo à inúmeros pedidos de dois ou três leitores, retomamos nossa listagem. É aconselhável não levar em conta diferenças de qualidade entre os artistas participantes. Olha só:

9. Culpado: “Estou amando loucamente/ a namoradinha de um amigo meu/ sei que estou errado/ mas nem mesmo sei como isto aconteceu”, Roberto e Erasmo Carlos. “Eu pedi pra ficar/ eis o que se passou/ ele nos encontrou/ e agora ela sofre somente porque/ foi fazer o que quis/ o remorso está me torturando...”, Lupicinio Rodrigues.

10. Amigo: “Podemos ser amigos simplesmente/ coisas do amor, nunca mais”, Fernando Lobo. “Beijos sem paixão/crimes sem castigo/ aperto de mãos/ apenas bons amigos”, Engenheiros do Hawai

11. Numérico: “Na matemática, do meu desejo, eu sempre quero/ mais um, mais um/ mais um beijo”, Jorge Mautner-Nelson Jacobina (foto no alto). “Da primeira vez/ era a cidade/ da segunda o cais e a eternidade/ e das estrelas que esquecemos de contar/ o amor se deixa surpreender”, Tom Jobim.

12. Violento: “Se te pego com outro te mato/ te mando algumas flores/ e depois escapo”, Sidnei Magal. “Eu vou escrever no seu muro /e violentar o seu gosto/ eu quero roubar no seu jogo/ eu já arranhei os seus discos”, Adriana Calcanhoto.

13. Divino: “A deusa da minha rua/ tem os olhos onde a lua...”, Newton Teixeira-Jorge Faraj. “Como uma deusa/ você me mantém...”, Rosana-Claudio Rabello (versão).

14. Animal: “Era uma vez um Lobo Mau/ que resolveu jantar alguém”, Carlos Lyra-Ronaldo Bôscoli. “Sou fera ferida, no corpo e na alma/ e no coração”, Roberto e Erasmo Carlos. “Pombo correio/voa ligeiro/meu mensageiro/e essa mensagem/de amor/leva no bico”, Moraes Moreira-Dodô-Osmar.

15. Estival: “Quando o inverno chegar/eu quero estar junto a ti/pode o outono voltar/eu quero estar junto a ti/porque é primavera/ te amo é primavera/ meu amor”, Cassiano-Silvio Rochael.

16. Meteorológica: “Chove lá fora e aqui/ faz tanto frio/ me dá vontade de saber/ aonde está você”, Lobão. “Chove chuva, chove sem parar/ por favor chuva ruim/ não vá molhar o meu amor assim”, Jorge Benjor.

2 comentários:

Fraga disse...

É formidável e infindável, Zé, um filão que tu só não fi-la a fila se não qui-la... Bahrgh!

ayrton kanitz disse...

Muito bom,Zé!
(Do teu quarto leitor, ayrton kanitz)
PS.: tu achas que a tua foto, lá no alto, contribui? Sei não, o blog tá tão bonito!