quinta-feira, 26 de junho de 2008

Poetando (3)

terra arrasada

José Antônio Silva


a terra já está arrasada

só as coisas muito pesadas

ou muito suaves

se mantêm.


caminhamos alegres

sob a tempestade

porque outro foi

quem o raio atingiu.


as coisas sobrevivem

porque o sol nasce

e porque a noite

faz sua parte.


não é muito

não é tudo.

é o possível.


Porto Alegre/1994


Um comentário:

Sidnei Schneider disse...

Os primeiro quatro versos são excepcionalmente bons, e remetem a Eliot, The Waste Land. Abração